Três Marias saem do forno!

crescer

Três Marias, inicialmente desconhecidas umas para as outras. Maria Joana, uma jovem sensível e delicada, sofre com a situação em que sua família se encontra: seus pais ameaçam se separar, e seu único companheiro é o irmão mais novo. Maria da Graça é romântica e sonhadora, além de ser a melhor dançarina de forró de sua cidade ao lado do amor de sua vida, João. Maria do Socorro – ou como gosta de ser chamada, Mary Help – é comunicativa e descolada, tem uma opinião sobre tudo e fala o que vem à cabeça.
As três garotas são escolhidas para participar de um curso de inglês um tanto diferente: pelo período de um mês, elas e mais 27 pessoas ficarão em um internato, vivenciando a língua e os costumes estrangeiros em sua essência. No primeiro dia, elas se conhecem e a sintonia é instantânea – principalmente porque Mary Help arrasta suas novas amigas na busca por mistérios e segredos do internato.
As garotas vão parar dentro de um socavão, que abriga um órgão antigo e um esqueleto apelidado carinhosamente de Ocrídio, e que segura uma mensagem estranha e secreta. Agora, as meninas precisam desvendar esse segredo, enquanto fogem da supervisão das freiras rígidas e conciliam os estudos. Será que elas conseguem?




Essa é a história por trás de Crescer não é perigoso, de Januária Cristina Alves e ilustrações de Nireuda Longobardi. Baseado em um período da vida da autora em que passou em um internato, Januária usa e abusa de traços da realidade para dar vida às suas personagens. Por ser uma história ambientada em Pernambuco, a utilização de vocabulário e referências nordestinas é bem forte. Além disso, para as ilustrações, foi utilizada uma técnica antiga chinesa, conhecida como Kiriê. As formas são delineadas a partir de cortes com lâminas no papel, ao invés de desenhadas a lápis ou tinta.
Entre nessa história com as três Marias que, aliadas aos amigos Alessandro, Lucas e Gustavo, vão aprender que crescer não é, afinal, tão perigoso.

Advertisements